Há uma cidade no interior de São Paulo que só liberou marchinhas de Carnaval para a festa. Bandas ou carros de som que reproduzirem outro ritmo podem ser multados em R$ 1.028, valor que dobra na reincidência. Bem-vindo a São Luiz do Paraitinga.

Além de ter leis "do xixi" (para quem urinar na rua) e "boa vizinhança" (para quem perturbar o sossego), a cidade ainda tem taxa ambiental, espécie de pedágio para limitar a entrada de veículos. As queixas dos locais em relação à "bagunça" pode levar até ao fim do patrocínio oficial. O diretor de Trânsito, Diego Reis, acredita que "para 2019, a prefeitura realize um plebiscito para que o povo decida sobre a realização ou não do carnaval.

De São José dos Campos, Gabrielle Vieira, de 22 anos, sabia que a trilha teria só marchinhas. "Não gostei, mas são as normas." Já Nathália Beltrami, de 24, que é de São Paulo, aprovou. "Venho pelas marchinhas, se quisesse funk, iria ao Rio".