A empresa familiar Orthocrin vai transferir a produção para um espaço mais amplo em Santa Luzia, na Grande BH. Quando a primeira fábrica foi aberta no bairro Floresta, na região Leste da capital, há 53 anos, eram feitos seis colchões ortopédicos por mês, vendidos de porta em porta. A expectativa após a mudança de endereço é a de produzir até 4.500 unidades por dia. Hoje, o número varia de 2 mil a 3 mil.

Mesmo em meio à crise econômica no país, há planos para um incremento de 20% nas vendas em 2017, alavancado principalmente pela maior capacidade de produção. “Paralelamente a isso, a empresa vai apostar no fortalecimento do e-commerce. Queremos ampliar as possibilidades de vendas on-line”, diz Alexandre Prates, diretor comercial e de marketing da Orthocrin.

Dados do “Anuário de Colchões 2017”, com informações levantadas em mais de 400 fábricas pelo país, apontam que para este ano a previsão é a de que o setor movimente R$ 7,1 bilhões. As vendas estão concentradas nas 200 maiores cidades do país, representando 58% do total do consumo.

Investimento

Outra aposta da Orthocrin neste ano será o estímulo à abertura de franquias. Atualmente, a marca conta com 82 representantes e espera ampliar o time em mais 30 até dezembro. A empresa tem mais de 3 mil pontos comerciais.
“O foco será nas cidades que ainda não contam com franquias em Minas, Rio, Bahia, Distrito Federal e Espírito Santo”, diz Alexandre Prates. “A intenção é crescer de dentro para fora, ou seja, começando com Minas”, completou.

Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) indicam que, em 2016, o setor movimentou R$151,2 bilhões na economia brasileira, um crescimento de 8,3% em comparação com 2015. Para 2017, a expectativa é que haja crescimento de até 9%. Minas é o quarto estado com mais redes franqueadoras, representando 6% do mercado de franquias no país, ficando atrás de São Paulo (1º), Rio de Janeiro (11%) e Paraná (8%).

Para abrir uma representação da Ortocrin o franqueado investe R$ 100 mil, segundo Alexandre, com previsão de retorno desse aporte entre 18 e 24 meses. “Vamos apostar nesse negócio principalmente nos locais em que já contamos com forte atuação, como Minas e o Espírito Santo”, disse Prates.

“Nossos investimentos neste ano serão concentrados no fortalecimento do e-commerce. Após a ampliação da fábrica, passamos a contar com uma equipe mais preparada para auxiliar na ampliação das vendas e da produção de colchões e assessórios”
Alexandre Prates,
diretor comercial e de marketing da Orthocrin