Se o mercado de automóveis novos voltou a crescer em 2017, o mesmo aconteceu no setor de usados, que registrou um dos melhores anos da história, com 10,7 milhões de unidades negociadas, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que mensura o licenciamento de novos e também a transferência de usados. 

Com uma dinâmica muito diferente da do mercado de carros zero quilômetro, o Volkswagen Gol segue como um dos modelos mais revendidos do país, tendo o Palio como segundo colocado. No entanto, em Minas Gerais a preferência é pelo compacto italiano. E quem atesta isso é o Webmotors. Segundo o site de vendas, o modelo teve 840 mil procuras em 2017, contra 634 mil do Gol. 

Mas o que chama a atenção mesmo é a procura por sedãs médios, como Honda Civic e Toyota Corolla que anotaram 815 mil e 732 mil buscas no estado.

A razão de os médios – e consequentemente mais caros – figurarem entre os dois principais populares se dá pela boa fama que tanto o Civic quanto Corolla têm no mercado. Enquanto Palio e Gol têm grande demanda devido ao baixo custo de manutenção.

“Nesse ano que passou observamos que a preferência por carros usados foi maior devido aos valores mais vantajosos oferecidos por estes modelos, que são capazes de atender a necessidade do comprador, além de serem veículos com uma maior facilidade de manutenção”, explica o presidente da Webmotors, Fernando Miranda.

SUV’s em alta
Assim como no mercado de novos, os utilitários-esportivos (SUV) têm atraído o interesse do consumidor. O Jeep Renegade é o jipinho que obteve mais procura no ano passado com 187 mil buscas, sendo seguido pelo Honda CR-V (174 mil) e o irmão HR-V (169 mil) pesquisas. 

No entanto, percentualmente o modelo que teve maior crescimento nas pesquisas foi o Nissan Kicks. De acordo com o boletim, o interesse pelo modelo cresceu 1.454%, saltando de 2 mil para 38 mil buscas, que é até natural, uma vez que o modelo estreou em agosto de 2016. 

O que o site não deixa claro é o percentual dessas buscas que se concretizaram em volume de vendas.