Os petroleiros de Minas manifestaram, na manhã desta segunda (28), na portaria da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, Região Metropolitana de Belo Horizonte. A categoria é contra a privatização de quatro refinarias da Petrobrás - Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco; Landulpho Alves (RLAM), na Bahia; Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul, e Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná.

Além disso, os manifestantes pedem a redução dos preços dos combustíveis, a manutenção dos empregos, a retomada da produção das refinarias, o fim das importações de derivados de petróleo, o fim das privatizações e do desmonte da companhia e a demissão de Pedro Parente da Presidência da empresa.

Paralisação de 72h

Depois de uma reunião realizada nesse sábado (26), a Federação Única dos Petroleiros (FUP) anunciou uma paralisação nacional de 72h a partir de 23h30 de terça-feira (29). Essa greve nacional já estava aprovada desde o início do mês de maio.

O protesto em Minas será na Regap, em Betim, e na Termelétrica Aureliano Chaves, em Ibirité, na Grande BH.

Desde a última quarta-feira (23), os petroleiros já realizaram três paralisações de oito horas na Regap e Termelétrica Aureliano Chaves. Os cortes de turno estão sendo realizados de forma aleatória como parte da preparação para a greve geral da categoria.


Leia também:
Petroleiros convocam dia de mobilização nesta segunda-feira