A siderúrgica Usiminas, em Ipatinga, na região do Vale do Aço, recebeu neste sábado (11) a visita de representantes de órgãos do Meio Ambiente, após explosão de um gasômetro, que deixou mais de 30 feridos, nessa sexta-feira (11).

Nesta tarde, a Polícia Militar do Meio Ambiente avalia a qualidade da água do Rio Doce e do Rio Paracicaba, que cortam a região do Vale do Aço, para analisar se houve algum tipo contaminação. Pela manhã, a equipe visitou a siderúrgica e a expectativa é que um relatório seja apresentado ainda neste sábado. 

Uma equipe do Sistema Estadual de Meio Ambiente também esteve no local e deve emitir parecer sobre o retorno das atividades da indústria.

Outras investigações

A Polícia Civil informou, neste sábado (11), que várias perícias estão sendo realizadas no local e que, ao longo da próxima semana, uma equipe da engenharia da PC também vai à siderúrgica para vistoriar o local da explosão.

O caso ainda é acompanhado pelo Ministério Público de Minas Gerais, por meio da promotoria de Meio Ambiente da cidade. 

Nessa sexta, o Governo de Minas ainda informou, por meio de nota, que "a unidade da Usiminas em Ipatinga possui Licença de Operação para siderurgia e elaboração de produtos siderúrgicos devidamente vigente junto à Semad (Secretaria Estadual de Meio Ambiente)".

Em nota, publicada no site da empresa, a Usiminas informa que "realizou, com o apoio das autoridades públicas, um monitoramento da presença de gases na comunidade e não há registro de anormalidades, nem risco para a população". 

Nota da Usiminas na íntegra:

"Prosseguindo com o compromisso de prestar os devidos esclarecimentos à sociedade, a Usiminas informa que todas as 34 pessoas que tiveram ferimentos em razão da explosão de um gasômetro da Usina de Ipatinga já tiveram alta hospitalar.

A companhia reitera que realizou, com o apoio das autoridades públicas, um monitoramento da presença de gases na comunidade e não há registro de anormalidades, nem risco para a população.

A empresa prossegue com o plano de retomada gradual das operações, com a máxima segurança. Algumas áreas sem conexão com o setor afetado pela ocorrência, como Despacho, Laminação a Frio e Unigal, estão reiniciando suas atividades. Até o momento, a empresa ainda não tem previsão de quando retornará a plena produção. As causas seguem sendo investigadas pelas equipes técnicas, com o apoio de autoridades competentes".

Leia mais:
Vítimas da explosão na Usiminas recebem alta e empresa volta a funcionar parcialmente
Terceirizado da Usiminas morre em acidente de trânsito após explosão
Feridos em explosão de gasômetro da Usiminas tiveram alta hospitalar