]Minas Gerais foi tema recorrente no primeiro e segundo turno das eleições presidenciais e será palco do desfecho da campanha mais acirrada da história após a democratização. Será no Estado que os dois candidatos à Presidência da República devem encerrar a corrida rumo ao Palácio do Planalto.

No comitê do senador Aécio Neves (PSDB) já é certa a vinda dele ao Estado no sábado (25), último dia para a realização de atos públicos de campanha. Aécio visitará o túmulo do avô, Tancredo Neves, em São João del- Rei. Ele também deve fazer caminhada na Praça da Liberdade, um dos cartões postais da cidade e local que abrigou a sede do governo mineiro por décadas.

A campanha da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) também encerrará as atividades em Minas Gerais. Porém, até ontem a agenda não tinha sido fechada. No meio petista, a expectativa é a de que ela desembarque no sábado em Belo Horizonte para uma caminhada. Em seguida, vai a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, onde votará no domingo. 

A presidente retorna a Brasília ainda no domingo onde acompanhará, do Palácio da Alvorada, o resultado das eleições. Já Aécio Neves deve acompanhar a apuração em sua residência em Belo Horizonte.

Pesquisas

As agendas dos presidenciáveis estão susceptíveis às derradeiras pesquisas de intenção de voto. Existe uma pré-agenda em que ambos desembarcarão em Minas Gerais. Porém, como a disputa está acirrada e deve acabar contabilizando uma vitória com pequena margem, de acordo com as pesquisas, os últimos levantamentos serão determinantes no fechamento dos compromissos finais.

O script dos dois adversários, até o momento, seguirá o roteiro do primeiro turno do pleito. Na ocasião, Aécio Neves terminou a campanha em Minas, em visita a um aglomerado da capital. Já Dilma realizou uma carreata ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Centro de BH.

O Estado transformou-se em alvo dos presidenciáveis porque constitui o segundo colégio eleitoral. E ambos são nascidos em Minas Gerais. Aqui também reflete o acirramento da eleição. No primeiro turno, Dilma saiu vitoriosa. No segundo, as pesquisas indicam que o tucano ultrapassou a petista, mas a margem não é grande