A ex-prefeita de Ouro Preto Marisa Maria Xavier Sans foi condenada por improbidade administrativa. Segundo o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), ela custeou  com dinheiro público, a veiculação de matérias e propagandas em jornais informativos e emissoras de TV e rádio da região visando a sua promoção pessoal. O MPMG apontou que, com a prática ilícita, o prejuízo causado ao município ultrapassou R$ 1,3 milhão.
 
A decisão, proferida pelo Juízo da 1ª Vara Cível da Comarca de Ouro Preto, determinou à ex-chefe do Executivo municipal a suspensão, por oito anos, dos seus direitos políticos, o pagamento de multa civil e a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais durante 10 anos.
 
De acordo com a instituição, o dinheiro público foi utilizado para obter espaço em meios de comunicação locais e exaltar a gestão da ex-prefeita, que ocupou o cargo entre 2001 e 2004.
 
A Constituição Federal veda a utilização de nomes, símbolos ou imagens caracterizando promoção pessoal de autoridade em veículos informativos públicos.
 
(*Com MPMG)