O ex-presidente da Bolívia Jorge Quiroga apresentou agradecimento nesta quinta-feira (17), ao governo e aos parlamentares brasileiros pela concessão de asilo ao ex-senador pelo seu país Roger Pinto Molina. Em visita ao Senado, Quiroga criticou o atual presidente boliviano, Evo Morales, e mencionou a acolhida do País a Molina, que ficou asilado na embaixada do Brasil em La Paz por mais de um ano e de onde saiu em um episódio que contou com a atuação do diplomata Eduardo Saboia e do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES).

Quiroga governou a Bolívia entre 2001 e 2002. Segundo ele, as eleições livres no seu país não representam a efetiva democracia no regime do atual presidente, que na sua opinião, "quer se perpetuar no poder e burlar a Constituição" boliviana. O texto constitucional prevê apenas dois mandatos consecutivos. Alvo de acusações que correm na Justiça, o ex-presidente disse que o poder está a serviço do atual governo.

"Antes, havia os paredões. Atualmente, o paredão é o judicial", afirmou Quiroga, que visitou parlamentares da Comissão de Relações Exteriores do Senado, colegiado presidido por Ferraço.