Citado pelo delegado da Polícia Federal Maurício Moscardi Grillo como um dos partidos que teria sido beneficiado por parte da propina arrecadada no esquema de corrupção envolvendo fiscais, políticos, lobistas, funcionários públicos e os maiores frigoríficos do País, o PP informou que desconhece o teor das denúncias e apoia a investigação.

Operação deflagrada nesta sexta-feira, 17, pela PF, batizada de Carne Fraca, mostrou que as superintendências regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás atuavam diretamente para proteger grupos empresariais, recebendo propina para facilitar a produção de alimentos adulterados e emitindo certificados sanitários sem fiscalização efetiva.

"Em relação à operação deflagrada hoje pela Polícia Federal, o PP informa que desconhece o teor das denúncias. O partido apoia minuciosa investigação e o rápido esclarecimento dos fatos", diz o partido em nota.

Leia mais:
Ministério da Agricultura afasta 33 servidores suspeitos de envolvimento na operação Carne Fraca
Corrupção no Brasil é fenômeno sistêmico e estrutural, diz ministro do STF
JBS doou R$ 200 mil a Serraglio nas eleições de 2014