Na operação que realizou na manhã desta quinta-feira (21), a Polícia Federal acabou detendo o segundo operador de propina do PP, Henry Hoyer, no Rio. Ele era alvo de um mandado de busca e apreensão, não havia decreto de prisão contra ele. No entanto, acabou detido após a PF encontrar munição de uso restrito em uma das três armas antigas que ele tinha, em sua residência.

Henry Hoyer de Carvalho, identificado como Henry pelo doleiro Alberto Youssef, personagem central da "Lava Jato", em depoimento à Justiça Federal, é sócio em duas empresas e já foi assessor do ex-senador Ney Suassuna (PSL-PB).
Seu nome também havia sido identificado pela Polícia Federal nas agendas do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa antes do depoimento de Youssef. "Reunião com Maurício e Henry 6/9/12", anotou Costa em uma agenda de 2012 e 2013 apreendida na "Lava Jato".