O ministro e relator da 'Lava Jato' no Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, concedeu liminar autorizando que o doleiro Alberto Youssef não seja obrigado a se autoincriminar durante o depoimento à CPI dos Fundos de Pensão. Na prática, ele poderá permanecer calado durante a sabatina. Youssef será ouvido nesta terça-feira (27) na Câmara dos Deputados.

Segundo o despacho do ministro, o doleiro não será obrigado a assinar o termo de compromisso de dizer a verdade. A defesa de Youssef poderá intervir verbalmente, quando for necessário, desde que observadas as normas da CPI.

A CPI investiga suposta manipulação política em investimentos com recursos dos fundos de pensão federais, dentre os quais estão Petros (da Petrobras), Previ (do Banco do Brasil), Funcef (da Caixa Econômica Federal) e Postalis (dos Correios). As operações levaram os fundos a um déficit de mais de R$ 30 bilhões no ano passado.