Um policial americano, suspeito de matar há uma semana um adolescente negro atirando contra um carro cheio de jovens que saíam de uma festa, se entregou na sexta-feira (5) e foi formalmente acusado de homicídio, anunciaram as autoridades. Roy Oliver, de 37 anos, um policial branco, dirigiu-se em 29 de abril na companhia de um colega a Balch Springs, nos arredores de Dallas, depois de ser alertado sobre a presença de menores de idade bêbados, informou o Dallas Morning News.

Jordan Edwards, de 15 anos, e outros quatro jovens saíam de uma festa em um carro quando Roy Oliver disparou contra o veículo, atingindo o adolescente na cabeça, de acordo com a imprensa. Desde então, o policial estava foragido.

Segundo as autoridades locais, Roy Oliver acabou por se entregar e foi notificado da acusação de homicídio por um juiz do Texas na prisão do condado de Weatherford, cerca de 60 km a oeste de Dallas. Contudo, o policial foi liberado depois de pagar fiança de US$ 300.000, indicaram as fontes. Segundo a imprensa local, Oliver foi afastado da polícia.

Roy Oliver "teve a intenção de infligir ferimentos graves e cometer um ato colocando claramente em perigo a vida de outros", considerou o escritório do xerife local em um comunicado, anunciando a acusação contra o agente.

Inicialmente, autoridades da polícia haviam indicado que Roy Oliver tinha atirado porque o veículo estava recuando em direção a ele de forma agressiva. Mas esta versão finalmente caiu por terra após a revelação das imagens da câmera em seu uniforme da polícia, que mostraram o carro se afastando quando Jordan Edwards é atingido.

Os casos de violência policial contra negros têm abalado os Estados Unidos nos últimos anos. De acordo com uma contagem do Washington Post, Jordan Edwards é o mais jovem entre as 339 pessoas mortas pela polícia americana desde o início deste ano.