Organizadores de festivais gastronômicos em Minas Gerais têm até 28 de fevereiro para participar de editais de incentivo abertos pelo Estado. Ao todo, 37 propostas serão selecionadas. A expectativa é a de que, apenas com esses dois certames, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) direcione cerca de R$ 2 milhões ao setor.

Na quarta edição, o de Incentivo a Festivais Gastronômicos irá destinar R$ 1,5 milhão a 12 eventos nos cinco territórios gastronômicos mineiros (Cerrado, Central, Espinhaço, Mantiqueira e Rios). Já o edital de apoio a food trucks irá distribuir R$ 450 mil entre 25 desses empreendimentos.

O processo de seleção avalia critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade.

As ações foram consolidadas no Programa +Gastrono-mia, lançado em 2017, para preservar tradições culinárias mineiras e fortalecer toda a cadeia produtiva

Incremento

As iniciativas integram o plano do governo de chegar, até o fim de 2018, a R$ 50 milhões o montante destinado à valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias. Desde 2015, a Codemig lança ações para alavancar o Estado como destino gastronômico no país.

O investimento faz parte do Minas de Todas as Artes – programa de incentivo à indústria criativa, que conta com R$ 20 milhões de verba aplicada até o momento. O segmento é considerado estratégico e com ampla capacidade de potencializar outros setores da cadeia de valor, como o agronegócio e o turismo de eventos, tornando-os mais inovadores, dinâmicos e competitivos.

As estratégias, diretas e indiretas, buscam fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Os empreendedores ampliam a produtividade e a competitividade de Minas no mercado brasileiro, principalmente como um destino turístico-gastronômico de referência, movimentando o fluxo turístico regional e nacional.

Até agora, os três certames de incentivo a festivais gastronômicos realizados pela Codemig já somam R$ 3 milhões, beneficiando cerca de 30 projetos em mais de 20 municípios. O aporte contemplou 12 dos 17 Territórios de Desenvolvimento mineiros.

Sabor

O público se mostra receptivo às iniciativas, afirma Cleide Greco, idealizadora do 13º Festival de Gastronomia Frango Caipira de São Gonçalo.

Por lá, os cozinheiros buscaram ingredientes típicos da região e idealizaram pratos como frango com broto de embaúba (árvore comum do cerrado), frango com lobo-lobo (casca de uma árvore com sabor de tanino), frango com hibisco e também frango com açaí.

“As pessoas ficam encantadas com a diversidade dos pratos. E, com o incentivo do governo do Estado, conseguimos expandir a qualidade, agraciando o público com uma estrutura adequada, e unir sofisticação, tradição e sabor no prato dos mineiros presentes em São Gonçalo”, comenta Cleide.

Gestora do Igarapé Bem Temperado, realizado anualmente em Igarapé, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), Letícia Cabral destaca o envolvimento do governo. 

“Os festivais têm muitos desdobramentos para as localidades, como desenvolvimento econômico, além de uma sensação de pertencimento à cultura local. Os saberes locais têm um grande valor cultural, porque o mineiro tem uma imagem de seu povo vinculado à culinária”, pontua Letícia.

Vitrine

Além dos editais de incentivo, projetos como o Mineiraria, na capital mineira, expõem o comprometimento da Codemig em incrementar o setor gastronômico no Estado, afirma o presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco. “Mais do que justifica os investimentos em organização, estrutura e em boas estratégias de promoção e comercialização”, frisa o gestor. 

A Mineiraria inclui a Casa da Gastronomia, a Cozinha Escola Mineiraria no Mercado Central e os espaços itinerantes. 

O carro-chefe é a localização em um edifício histórico restaurado, localizado na rua Uberaba, 865, no Barro Preto, região Centro-Sul da cidade.

Em vários lugares

A itinerância é um dos conceitos fundamentais da iniciativa. A ação também se desdobra em estandes, espaços de aprendizado e uma série de oficinas, cursos, exposições e demonstrações. Nos estandes Espaço Mineiraria, pequenos produtores mineiros participam de eventos estaduais e nacionais. 

Em agosto de 2017, o Mercado Central, no hipercentro, recebeu a Cozinha Escola Mineiraria. O local inclui área de exposição de produtos e uma cozinha, onde são realizadas capacitações e demonstrações, atendendo a profissionais e amantes da culinária mineira.