O álcool voltou a ser opção para o motorista mineiro que quer fugir das bombas de gasolina. Segundo levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP) divulgada nesta segunda-feira (14), o preço médio do litro do etanol hidratado no Estado, na semana entre 6 e 12 deste mês, ficou em R$ 2,64. Já o valor médio do combustível derivado do petróleo esteve em R$ 3,80, o que dá uma paridade favorável ao etanol hidratado de 69,4%.

Em Belo Horizonte, no mesmo período, o preço médio do álcool foi de R$ 2,57 e o da gasolina, de R$ 3,67. Nesse caso, a paridade é de 69,9%, favorável ao etanol.

O levantamento considera que o combustível de cana, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.Na semana de 30 de julho a 5 de agosto, o preço médio do álcool em Minas já se mostrava competitivo. O litro do etanol era vendido, em média, a R$ 2,68, enquanto o da gasolina estava a R$ 3,84 (paridade de 69,9%).

Antes de escolher qual combustível será usado para abastecer o carro, o motorista deve colocar os números na ponta do lápis. Para ser competitivo, o valor do álcool hidratado deve estar, pelo menos, 70% do preço da gasolina

 

Em Belo Horizonte, o consumidor encontrava o valor médio do litro de etanol a R$ 2,60 e da gasolina, a R$ 3,72. Nesse caso, a paridade era de 69,7%.

De acordo com o presidente da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig), Mário Campos, os preços colhidos no levantamento mostram que o motorista tem a chance de economizar e colocar no tanque do carro um combustível que emite menos 90% de gases do efeito estufa na comparação com a gasolina.

“Assim ele colabora não apenas com o meio ambiente, mas com a saúde do consumidor, principalmente, em tempo seco e de baixa umidade”, diz.

Segundo a Siamig, Minas Gerais moeu até a segunda quinzena de julho 33,38 milhões de toneladas de cana, 1,68% inferior às 33,96 milhões de toneladas moídas no mesmo período da safra passada.
 
Brasil

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros recuaram em 14 estados, inclusive Minas, e no Distrito Federal na semana passada, segundo levantamento da ANP. Em outros 10 estados houve alta nos preços. Em Roraima houve estabilidade e a ANP não divulgou os preços nos postos do Amapá.

No Brasil, o preço mínimo registrado na semana para o álcool em um posto foi de R$ 2,06 o litro, em São Paulo, e o máximo foi de R$ 4,25 o litro, no Rio Grande do Sul. O menor preço médio estadual foi de R$ 2,39 o litro, em São Paulo, e o maior preço médio foi verificado em Roraima, de R$ 4,02.
 
Gasolina

Embora o álcool tenha ganhado competitividade, o valor médio da gasolina vendido nos postos brasileiros também recuou, ainda que ligeiramente, em 18 estados na semana passada. Na média nacional, a queda foi de 0,13%, para R$ 3,758 o litro.
Em Minas, houve recuo médio no preço gasolina de 0,94%, de R$ 3,845 para R$ 3,809 o litro.

Com agência