SÃO PAULO (SP) - Desde 2013, a Peugeot iniciou um processo de reestruturação da operação no mercado brasileiro. O hatch 208 simbolizou uma qualificação sem precedentes em relação ao 206 e a inclusão paulatina do motor turbo THP 1.6 de 165 cv (173 cv flex) também contribuiu para essa elevação de status. No entanto, o ponto alto desse processo teve início no ano passado, com o utilitário-esportivo (SUV) 3008 e agora com o irmão maior 5008, que acaba de estrear.

O 5008 nada mais é que uma versão alongada do 3008, com capacidade para até sete ocupantes, vez que conta com um par de assentos extras, que podem ser rebatidos e até mesmo removidos para ampliar a capacidade do porta-malas.

Partindo de R$ 157.490, na versão Griffe e R$ 166.490, na versão Griffe Pack, o 5008 figura no topo da alcatéia e, segundo a presidente da marca, Ana Theresa Borsari, o modelo foi uma demanda de clientes que se interessaram pelo 3008, mas queriam mais espaço. “Para este carro, optamos pelo pacote mais sofisticado que poderíamos oferecer”, pontua a executiva, que não esconde a missão de mudar a imagem negativa de manutenção cara que a marca francesa ganhou no passado, com programas de financiamentos e pós-venda mais eficientes.

Filão
O 5008 passa a fazer parte de um pequeno clube de utilitários-esportivos (SUV) com opção de sete lugares. Além dele figura Mitsubishi Outlander, Kia Sorento e Toyota SW4, modelos que orbitam em faixas de preços superiores e que, segundo ela, não contam com mesmos conteúdos ofertados pelo jipe francês. 

É bem verdade que o “Leão” tem recursos que impressionam, principalmente em tecnologias de auxílio à condução, como por controle de cruzeiro adaptativo (ACC) com identificação de placas de sinalização. O motorista programa a velocidade e distância do carro à frente, mas consegue visualizar placas e sugerir o ajuste da velocidade permitida. Ele também enxerga pedestres podendo acionar os freios, assim como interfere na direção caso o motorista tente mudar de faixa quando outro carro estiver em ponto cego. O leão é sábio!

Gordinho
Por ser maior, não é surpresa para ninguém que o 5008 é mais pesado que o 3008. São cerca de 1.670 quilos. Mas a marca garante que o acréscimo é de apenas 65 quilos sobre o irmão menos encorpado. 

Mesmo assim é uma massa considerável, que os executivos justificam pelo pacote de conteúdos aplicado no carro. E a quantidade de recheio cobra o preço sob o capô. A unidade turbo THP 1.6 de 165 cv e 24,5 mkgf de torque oferece bom comportamento, mas não se pode exigir do 5008 agilidade de um leopardo. 

Ao volante
As retomadas são satisfatórias, mas não se comparam aos demais modelos Peugeot e Citroën que também adotam o motor. Completa o conjunto a transmissão automática de seis marchas.

Mas o peso extra se justifica à bordo do 5008. O jipão oferece um pacote farto de conteúdos. Além do ACC e sistemas de segurança ativos, o Leão ainda conta com recursos como direção elétrica, central multimídia com conexão para Android Auto e Apple CarPlay, ar-condicionado digital de três zonas e teto solar panorâmico, conteúdos refinados como carregador de celular por indução magnética (que dispensa conexão nas portas USB), seis bolsas infláveis, com direito a cortinas laterais que se abrem até a terceira fileira de bancos. 

Por falar em bancos, o revestimento é em couro e há massageadores para motorista e carona. Na segunda fileira os três assentos são independentes e com regulagem de distância e inclinação. E por fim, as duas unidades traseiras podem ser rebatidas ou removidas. 

Quando rebatidas, o volume do porta-malas é de 780 litros. Caso seja necessário mais volume, basta retirar os bancos, que pesam cerca de 13 quilos, e ganhar mais 30 litros para cada um.