O pré-candidato ao governo do Estado pelo DEM, o deputado federal Rodrigo Pacheco, vai disputar o apoio do MDB em Minas Gerais, inclusive tentando um acordo com o também pré-candidato Adalclever Lopes (MDB), cogitado por Pacheco para assumir uma vaga no Senado na chapa dos democratas.

Em encontro com prefeitos mineiros, incluindo o prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PHS), na sede da Prefeitura, na tarde desta terça-feira (17), Pacheco falou sobre as novas possibilidades abertas com a saída do vice-governador Antonio Andrade da presidência regional do MDB.

Com a escolha do deputado federal Renzo Braz (PP) para a primeira vaga ao Senado, Pacheco busca um nome de peso para a outra vaga. O democrata admite conversas com Adalclever Lopes nesse sentido, caso o presidente da ALMG não leve a candidatura ao governo do Estado adiante.

"Minha conversa com Adalclever e Antonio Andrade foi sempre respeitando a candidatura do MDB. Apenas que, na eventualidade de não haver essa candidatura, pudessem considerar o apoio à nossa candidatura ao governo do Estado. Vamos continuar as conversas com o Adalclever, sim", disse Pacheco.

O pré-candidato do DEM ainda comentou uma possível aliança entre PT e MDB, preferência manifestada pela bancada de deputados estaduais e federais do partido, principalmente após a saída de Antonio Andrade da presidência da legenda, principal opositor ao governo de Fernando Pimentel (PT).

"Qualquer decisão que o  MDB tomar, será respeitada por mim. Ainda que seja uma eventual coligação com o atual governador e o PT, eu respeitarei o MDB e acredito que nessa hipótese haverá uma grande dissidência do MDB para nossa candidatura", afirmou Pacheco.