O senador Antonio Anastasia (PSDB) não descartou ontem uma negociação com o MDB na sucessão em Minas. “Nós temos várias pessoas próximas no partido e é sempre bom lembrar que quando fui candidato em 2010, ainda que meu adversário, o ex-senador Hélio Costa, fosse do MDB (antigo PMDB), centenas de prefeitos nos apoiaram informalmente”, declarou o tucano, durante o lançamento oficial da pré-candidatura ao governo do Estado, em Contagem. Ele afirmou que o objetivo do partido atualmente é fazer uma forte coligação. Hoje, o PSDB já conta com apoio do PSD, PSC e do PTB. 

Sobre o vice-governador que o acompanhará no palanque, o tucano afirmou que caberá aos partidos aliados definirem juntos o melhor nome a ser lançado, mas afirmou que Marcos Montes (PSD), um dos parlamentares mais cotados para o cargo, tem o seu apreço. “Ele é de um dos partidos que compõem a nossa base de apoio e é uma pessoa por quem eu tenho muito apreço”, disse.

De acordo com Domingos Sávio, presidente do PSDB-MG, as negociações com outros partidos são intensas e apenas o PT está descartado da aliança. “Quem está com o governo atual dificilmente será nosso aliado. Mas hoje eu acredito que apenas o PT e parte do PCdoB aplaudam o que está sendo feito. Estamos conversando com quem quer mudanças, assim como nós queremos”, afirmou. 

Sem Aécio
A solenidade contou com a participação de quase 2 mil pessoas, incluindo prefeitos, militantes, vereadores e deputados, mas não teve a presença do senador Aécio Neves, um dos principais nomes do partido. Ele enviou um recado aos presentes, que foi repassado por Domingos Sávio. “O Aécio pediu para agradecer a vocês e dizer que o compromisso dele é com Minas. Por isso, optou por não vir hoje e se dedicar à sua defesa”, disse. 

Entre as propostas listadas ontem por Anastasia, caso seja eleito, está a atração de empresas interessadas em auxiliar os hospitais filantrópicos mineiros, como as Santas Casas.

Em relação à segurança, o senador afirmou que pretende dar mais autonomia aos policiais e que conta com o apoio da sociedade para que eles cumpram o seu trabalho.

 


Partido Trabalhista Brasileiro engrossa a lista de adesões à campanha tucana no Estado

O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) foi o terceiro a declarar apoio à pré-candidatura de Antonio Anastasia ao governo de Minas. Durante o evento, o presidente da legenda no Estado, Dilzon Melo, afirmou que Anastasia vai voltar para o lugar de onde nunca deveria ter saído e que vê no pré-candidato uma esperança para os atuais problemas do Estado. 

“É um desrespeito com os prefeitos o que acontece atualmente, do ponto de vista da saúde e da educação. Nós estamos de mãos dadas com o Anastasia, porque conhecemos a sua idoneidade”. 

Na semana passada, o PSC também declarou o apoio ao candidato e realizou um evento formal para anunciar a aliança. 

governo
Deputada Raquel Muniz, Anastasia e Marcos Montes, cotado para vice na chapa tucana em Minas

Primeiro partido a anunciar apoio a Anastasia, o PSD, que está na coligação desde o início de abril, também reiterou a contribuição para a campanha. 
“Nós, no PSD, estamos buscando um caminho para melhorar o caos e, por isso, escolhemos a pré-candidatura de Antonio Anastasia. Um caminho bom e seguro, já experimentado e testado pelos mineiros”, afirmou Ruy Muniz, pré-candidato a senador pela legenda. 

Para a deputada federal Raquel Muniz, também do PSD, Anastasia mostrou coragem ao abrir mão do conforto e lutar pelas eleições estaduais. “O Brasil e Minas Gerais passam por um momento muito difícil, mas mesmo assim ele aceitou o desafio. Ficamos felizes, porque é alguém que conhece o nosso Estado e tem muito a contribuir”, disse.