Os serviços públicos estaduais devem ficar comprometidos em Minas Gerais na última quarta-feira do mês, no dia 27. Essa foi a data definida pelo funcionalismo em reunião realizada nesta segunda-feira (11) entre líderes de ao menos dez sindicatos na sede do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais (Sindipúblicos).
 
A expectativa dos representantes é a de que ao menos metade dos 300 mil servidores estaduais não trabalhem. “Vamos marchar para cima do governo com a paralisação do funcionalismo. Até porque a questão atinge a todos os servidores do Poder Executivo, estamos na expectativa de atraso e escalonamento de salários, algo que não aceitamos de forma alguma”, afirmou o diretor do Sindipúblicos, Geraldo Henrique da Conceição.
 
A promessa dos servidores é paralisar os serviços por 24h. No entanto, não está descartada a possibilidade da greve se estender por outros dias. “Durante o ato do dia 27 também faremos uma assembleia na qual decidiremos por uma greve por tempo indeterminado ou não”, explicou o coordenador intrassindical e diretor da Associação Sindical dos Trabalhadores em Hospitais do Estado de Minas (Asthemg), Carlos Martins.
 
A ideia inicial do movimento é interditar a MG-10, em frente da Cidade Administrativa, para depois levar o ato ao complexo onde funciona a estrutura estadual. No entanto, alguns líderes cogitam fazer o protesto na Praça 7.

A paralisação é uma reação ao anúncio do governo de que os salários dos três primeiros meses deste ano serão atrasados. Questionada, a administração não respondeu até o fechamento desta edição.

Proposta

Além da insatisfação quanto ao atraso salarial, o Sindipúblicos luta por uma mudança nos prazos. “Não é mais possível um prazo de pagamento de tributos tão dilatado igual ao mantido até hoje. Esse prazo vem da década de 70 quando a apuração dos tributos era feita quase manual. Hoje o contribuinte já sabe quanto tem que pagar no dia primeiro”, diz o presidente do sindicato dos servidores da tributação de Minas, Unadir Gonçalves.

Nota

À redação do Hoje em Dia, o Governo de Minas reiterou que, ainda esta semana, apresenta aos sindicados e associações, representantes do funcionalismo público estadual, um cronograma com as datas do pagamento dos funcionários públicos, nos próximos meses.

O texto diz ainda que Minas Gerais ainda herdou um déficit de cerca de R$ 10 bilhões da administração anterior, "mas o salário do servidor público é prioridade e o Governo está fazendo todo o esforço possível para que o funcionário saiba, com total transparência como serão os pagamentos daqui para frente".

Assista à entrevista de Geraldo da Conceição, diretor do Sindipúblicos, sobre a mobilização