Elas tiveram seu momento glorioso nos anos 1980, quando Caravan, Belina e Quantum (e por que não a Elba?) engrossavam a lista de peruas no mercado brasileiro. A Suprema foi o ponto alto das station wagons nacionais, mas com a popularização dos monovolumes e depois com a epidemia dos utilitários-esportivos (SUV), elas praticamente definharam no mercado nacional. No entanto, na Europa, as peruas ainda têm presença forte e a prova disso é a nova geração do Audi A4 Avant, que acabamos de testar.

Para início de conversa, toda perua Audi tem, por formação, uma pegada esportiva que deriva do clássico RS2 Avant, de 1994. Aquela perua desenvolvida em conjunto com a Porsche, com direito a freios, rodas e até as setas do 911 traçou um novo perfil para esses automóveis, que até então eram vistos como pacatos carros de senhoras rumo às compras.

Mas hoje, as senhoras não vivem apenas para ir ao supermercado ou levar os pequenos para a escola, assim como as peruas não são mais automóveis insossos. O A4 Avant é uma comprovação disso tudo.

Sua silhueta esguia, com linha de cintura alta e teto baixo dão a impressão de que ela é maior do que os generosos 4,72 metros de comprimento. As rodas aro 18 e a ponteira dupla do escapamento denunciam que o Avant não foi pensado apenas para ir à feira.

Sob o capô o conhecido motor turbo TFSI 2.0, que equipa boa parte da gama do Grupo Volkswagen. No A4 Avant a unidade foi calibrada para entregar 190 cv e 32 mkgf de torque. É força suficiente para acelerar de 0 a 100 km/h em 7,5 segundos e atingir a máxima de 250 km/h. Para mim, os 200 km/h projetados no para-brisas foi mais que suficientes.

Quintupla personalidade
O A4 Avant é um carro que desempenha vários papeis, seu pacote eletrônico conta com um sistema de gerenciamento, com cinco opções de comportamento dinâmico, que vai do “Eficiente” ao “Dinâmico”, e com direito a um modo personalizado pelo proprietário. No modo mais calmo, a perua se comporta com muita tranquilidade, com médias de consumo na casa dos 10,5 km/l (ela só bebe gasolina). Um valor considerável para um carro quase 1,5 tonelada.

No entanto, quando se ativa a opção mais esportiva, a perua fica ouriçada, a direção mais pesada, as trocas de marcha se alongam e a central eletrônica deixa de maneirar na injeção. Aí o carro vira o diabo, acelera com muita força. 

Sua suspensão firme e de curso baixo não gosta de buracos e soca forte contra a coluna, mas mantém o A4 sempre nos trilhos, o que realmente não a torna o melhor carro para ir à feira, ainda mais quando se precisa comprar ovos!

Raio-X Audi A4 Avant Ambition 2.0

O que é?
Perua média, quatro portas e cinco lugares.

Onde é feito?
Fabricado na Alemanha.

Quanto custa?
R$ 187.990

Com quem concorre?
O Audi A4 Avant se posiciona no segmento de peruas médias premium. Atualmente o único concorrente direto é a Mercedes Benz C 300 Estate (R$ 265.900).

No dia a dia
O Audi A4 Avant é um automóvel extremamente prazeroso de dirigir. A posição baixa não privilegia muito motoristas de baixa estatura, mas os controles elétricos do banco permitem encontrar a melhor posição com facilidade. 

Um dos destaques da nova geração do A4 é o Virtual Cockpit, que foi a substituição do quadro de instrumentos analógico por uma grande tela em TFT que ilustra diante dos olhos não apenas velocímetro e conta-giros, mas navegação GPS, telefonia, entretenimento e todos os parâmetros do carro. Além disso, a perua também conta com projetor da velocidade no para-brisas.

Por ter quase 4,8 metros, o A4 Avant não é o carro mais fácil quando o assunto é encontrar vagas, mas nem por isso é difícil estacionar. Apesar de não contar com assistente de estacionamento automático, oferece sensores na frente e atrás, além de câmera de ré, que facilita a vida do motorista.

Por ser uma perua, espaço é algo fundamental. O interior leva quatro adultos e uma criança com muito conforto e o porta-malas, que rebatimento automático da cobertura do bagageiro, comporta 480 litros.

Motor e Transmissão
A unidade TFSI 2.0 é um velho conhecido do mercado brasileiro, por equipar modelos como VW Jetta, Golf GTI e Fusca, além de Tiguan, A3 Sedan e outros. No A4 Avant ele desenvolve 190 cv e 32 mkgf de torque, combinado com a transmissão S Tronic de dupla embreagem e sete velocidades, que dá a perua uma performance invejável. Os modos de condução, com cinco opções, alteram todo o regime do motor e carga da direção, permitindo que o A4 Avant seja uma perua pacata ou um carro esporte legítimo.

Como bebe?
A média de consumo no combinado entre trajeto urbano e rodoviário, com gasolina, foi de 10,5 km/l.

Suspensão e freios
O conjunto de suspensão independente, tanto no eixo dianteiro quanto no traseiro, oferece estabilidade ímpar. Com curso curto e muito firme, ele mantém a carroceria estável nas curvas mais rápidas sem precisar recorrer insistentemente ao controle de estabilidade (ESP). No entanto, é um carro que não gosta de pisos irregulares, apesar de absorver as trepidações mais leves, não tolera buracos e faz o motorista sentir na coluna um baque forte.

Já os freios contam com largos discos ventilados nas rodas que são capazes de reduzir velocidades elevadas em poucos segundos e em distâncias curtas. Ele ainda conta com sistema de freio automático durante paradas em sinais, no qual as pinças se mantém pressionadas em a necessidade de manter o pé no pedal. Para soltá-las, basta tocar no acelerador.

Pontos positivos
- Consumo
- Desempenho
- Acabamento 

Ponto negativo
- Suspensão muito firme