O advogado Antonio Carlos Botelho, tio do ex-diretor da Cemig Frederico Pacheco de Medeiros, afirma que os acontecimentos envolvendo o sobrinho, preso na manhã desta quinta-feira (18) pela Polícia Federal, foi "uma grande surpresa" para a família, que está "abalada" com a situação. E que o senador Aécio Neves (PSDB) nunca ameaçaria o sobrinho.

De acordo com o acordo de delação de Joesley Batista, da JBS, divulgada pelo jornal O Globo, Frederico teria sido envolvido no transporte de dinheiro para o senador Aécio Neves (PSDB). O senador teria afirmado que precisava de alguém que pudesse "matar", antes de fazer uma eventual delação premiada sobre o assunto.

"O Aécio nunca faria uma ameaça ao Frederico. Eles são amigos desde criança", diz o tio.

"A família está transtornada, porque o Frederico é um homem muito sério, pessoa de responsabilidade. Aconteceu um fato, precisa ser apurado. Os detalhes jurídicos não serão comentados no momento. É preciso esperar os desdobramentos", prossegue.

Ele ainda disse não ler como corrupção o ato de alguém pedir dinheiro para uma pessoa próxima.                        

O advogado se encontra em frente à Policia Federal, em Belo Horizonte, onde busca informações sobre o sobrinho.

Leia mais:
Fachin afasta Aécio do Senado, e Supremo deve votar hoje pedido de prisão
Andrea Neves, irmã e braço direito de Aécio, é presa em Nova Lima
Grampo revela que senador Aécio Neves pediu R$ 2 milhões a dono da JBS