Nem só de tapetes de serragem é feita a Semana Santa. As passarelas coloridas que enchem os olhos de turistas, admirados com a perfeição dos desenhos, são apenas um dos destaques da programação nas cidades de Minas. Em várias delas, celebrações religiosas resistem bravamente ao tempo e ainda que tenham ganhado ares de espetáculo, tamanho o público que as prestigiam, seguem arrebatando e emocionando visitantes ao promover a fé. Montamos um roteiro com as principais atrações por destino. 

São João Del-Rei
Procissões, missas com orquestras seculares e homilias em latim são pontos altos da cerimônia da paixão, morte e ressurreição de Cristo nesta cidade do Campo das Vertentes, a 140 km de Belo Horizonte. Na quarta-feira, acontece na Catedral de Nossa Senhora do Pilar o Ofício de Trevas, que rememora a agonia de Jesus diante da aproximação da morte. Velas de um imenso candelabro são apagadas uma a uma. Imerso nas trevas, o público bate os pés no chão, num estrondo, até a luz voltar, representando a ressurreição. No dia 13, o Lava Pés refaz a passagem bíblica segundo a qual Jesus, após a Última Ceia, humildemente lavou e beijou os pés dos apóstolos. A montagem acontece sobre um enorme palco montado na Praça Francisco Neves, atrás da Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar, no Centro. Vale a pena chegar cedo para conseguir um bom lugar e conferir os detalhes de perto. 

Mariana 
O sagrado e as crendices populares se encontram e dão forma à Procissão das Almas, que acontece na madrugada da Sexta-Feira para o Sábado de Aleluia. As pessoas se vestem de branco, escondendo o rosto sob um capuz, e muitas carregam correntes e velas. A celebração neste formato existe há 35 anos, sendo fruto de elementos tradicionais e folclóricos que emanam das lendas marianenses.

Ouro Preto
Tapetes feitos com serragem, borra de café, raspa de couro e cal branco. A cidade histórica é palco de uma das mais expressivas comemorações da Semana Santa e atrai visitantes de todo o Brasil para acompanhar a confecção das passarelas e as missas realizadas nas diversas igrejas do município. Outro ato simbólico bastante famoso é a queima de Judas no Largo da Capela do Senhor do Bonfim e a Agonia, no domingo.

Caeté
Na Serra da Piedade, em Caeté, onde fica a igreja da padroeira de Minas, um dos momentos mais marcantes é a Encomendação das Almas: moradores em procissão rezam em diversas missas, celebrações e vigílias pelas almas que se encontram no purgatório.

Barão de Cocais
No Santuário de São João Batista, o Sábado de Aleluia é da bênção dos fogos. Conhecida como “Cerimônia da Luz”, nela todos os católicos renovam votos e promessas do batismo.

Santa Bárbara
As cerimônias são conhecidas como “Os Passos da Agonia”, uma encenação da paixão e morte de Cristo. O Teatro Âncora promove há mais de 40 anos as apresentações que começam na quinta-feira e são realizadas em frente à Igreja Matriz de Santo Antônio, no centro histórico.

Congonhas
Na cidade dos profetas, a programação dura a semana inteira, a partir do Domingo de Ramos. Na Sexta-feira da Paixão, após a tradicional encenação da paixão e morte de Cristo, os fiéis saem em procissão da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos em direção à Matriz de Nossa Senhora da Conceição, passando por ladeiras enfeitadas por tapetes feitos de serragem, pinturas e flores.

(*) A programação completa está nos sites das arquidioceses

 

Além Disso
Nas solenidades em São João del-Rei, no Campo das Vertentes, tão importante quanto assistir às solenidades é prestar atenção aos sons dos rituais. E não estamos falando dos sinos, uma das marcas da cidade. Nesta semana, eles se calam para que as matracas, sinal de luto da Igreja Católica, tomem conta das ruas históricas. 

Na programação, merece destaque, ainda, o Sermão das Sete Palavras, na Sexta-feira, proferido às 12h30. À noite, a partir de 20h30, acontece o Descendimento da Cruz, na Escadaria da Igreja das Mercês.

Logo depois sai a Procissão do Enterro do Senhor pela Praça Francisco Neves, Rua Monsenhor Gustavo, Praça Embaixador Gastão da Cunha, Rua Pradre José Maria Xavier, Rua Dr. Balbino da Cunha, Rua Ministro Gabriel Passos, Rua Arthur Bernardes, Rua Marechal Deodoro, Rua Sebastião Sette e Rua Getúlio Vargas até a Catedral do Pilar. Tudo acompanhado pelo Canto da Verônica.