O Aston Martin Vantage é o eterno caçula da marca britânica e também um dos carros mais belos da atualidade, mesmo com 13 anos de mercado. Mas a aposentadoria do “Baby Aston” já foi decretada e seu sucessor começará a ser vendido no ano que vem. Assim, para marcar o fim da jornada, a Gaydon acaba de apresentar o V12 Vantage V600. Versão repete a edição do V8 Vantage V600, apresentado em 1998 e que marcou época ao atingir 600 cv, graças a um compressor mecânico. O novo V600 não precisa de “aditivo”, uma vez que o V12 6.0, aspirado, já entrega os 600 cv “exigidos” pela série. Indócil, a edição é equipada com transmissão manual de sete marchas, que demanda sensibilidade e firmeza daquele que estiver atrás do volante. Com tiragem de apenas 14 unidades, o Vantage se despede com a certeza de que não envelheceu, como todo clássico inglês.

McLaren inaugura revenda no Brasil
A McLaren Cars tem expandido operações mundo afora, inclusive no Brasil. A primeira loja da marca no país acaba de ser inaugurada. Entre os modelos disponíveis no showroom montado em São Paulo estão supercarros como o 570S Coupé, 570 GT e o 720S. Os preços variam de R$ 1,8 milhão a R$ 3 milhões. No entanto, se o amigo leitor acha que precisa de algo mais exclusivo, a importadora Eurobike, terá duas unidades do fabuloso Senna GTR, ao preço de R$ 8 milhões. 

Next Level, o Golf de 400 cv
A Volkswagen apresentou versão conceitual do Golf GTI, batizada de Next Level, que indica que a atual geração do hatch já chegou ao fim da linha. Na verdade, a próxima geração será apresentada no Salão de Paris, em outubro. O que chama a atenção na versão conceitual, cheia de enfeites (um tanto exagerados), é o ajuste do motor turbo TSI 2.0, que originalmente entrega 220 cv, foi recalibrado para despejar nada menos que 411 cv. Resta saber se haverá uma tiragem limitada de despedida.

Audi anuncia Recall para linha A4
A Audi anunciou um recall para o A4, tanto nas versões sedã como perua (Avant). De acordo com a fabricante alemã, foi detectada falha na fixação dos para-brisas devido a imperfeições no processo de colagem, que pode se desprender. Segundo a Audi, em caso de colisão, em que o airbag dianteiro seja acionado, pode ocorrer absorção ineficiente do choque, o que poderia acentuar ferimentos. No entanto, apenas 12 unidades, fabricadas em agosto de 2018 apresentam o defeito. Informações: audi.com.br